O que é osmolaridade?
 
FAQ

Osmolaridade é a expressão da concentração da solução em mOsm/L, sendo o número de milimóis de substância líquida ou sólida disperso em 1,0 L de água (mOsm/L). É o termo preferido para designar a concentração de partículas em formulações de nutrição parenteral.

Via periférica - tolerância osmótica é de 900 mOsm/L
Na via periférica são administradas baixas concentrações de nutrientes, em grandes volumes, nas veias de menores calibres, geralmente na região da mão e do antebraço. É a via de administração de escolha em casos de curtos períodos de terapia e em pacientes com ausência de desnutrição grave. É também utilizada quando o paciente está em fase de transição da nutrição parenteral para a nutrição enteral. A osmolaridade desejada para a administração de NP por via periférica é de 600 mOsm/L, nunca excedendo 900 mOsm/L. Vantagens: mais simples, mais barata, apresenta menor risco de complicações (infecções, trombose);
Desvantagens: não permite a administração de soluções hiperosmolares.

Via central - tolerância a soluções hiperosmóticas.
Na via central podem ser administradas altas concentrações de nutrientes com osmolaridade maior que 900 mOsm/L (usualmente administra-se solução com osmolaridade maior ou igual a 1800 mOsm/L), pois utilizam-se veias de maiores calibres (subclávia, femoral, cefálica, jugular interna e externa) evitando a irritação das mesmas. É a via de escolha em casos de longos períodos de terapia. Vantagens: permite a administração de soluções hiperosmolares e pode ser utilizada em longos períodos de terapia; Desvantagens: apresenta maior risco de infecções e complicações.

Referências Bibliográficas:
Merritt RJ (ed) The A.S.P.E.N. Nutrition Support Practice Manual. Silver Spring: A.S.P.E.N.; 1998.
Waitzberg DL. Nutrição Oral, Enteral e Parenteral na Prática Clínica. 3 ed. São Paulo: Atheneu, 2000.

COPYRIGHT © FARMOTERÁPICA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Home Contato